Carregando...

Notícias

Diversidade 14/09/2021

Atlas da Violência: quem são as principais vítimas no Brasil

Atlas da Violência: quem são as principais vítimas no Brasil
Pessoas negras e jovens são as mais suscetíveis a serem assassinadas no Brasil. (Foto: Pixabay)

A publicação recente do Atlas da Violência 2021 trouxe números que comprovam o quanto há parcelas da população mais vulneráveis que outras em relação à segurança. Os dados analisados consideram o período entre 2009 e 2019 e mostram que negros, jovens e mulheres são as maiores vítimas de agressão e homicídio. E aponta casos de violência contra a população LGBTQIA+, os indígenas e as pessoas com deficiência.

Os dados do estudo são retirados do Sistema de Informações sobre a Mortalidade (SIM) e do Sistema de Informações de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde, e organizados pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Confira os principais números do Atlas da Violência 2021:

NEGROS

  • O risco de um negro ser assassinado é 2,6 vezes superior ao de uma pessoa não negra
  • Os homens e mulheres negros representaram 77% das vítimas de homicídios no Brasil em 10 anos

JOVENS

  • Dentre as vítimas de homicídio no país entre 2009 e 2019, 53% eram adolescentes e jovens

MULHERES

  • A taxa de homicídios de mulheres dentro de casa cresceu 6,1%

LGBTQIA+

  • A violência física contra pessoas trans e travestis teve aumento de 5,6% em 10 anos

INDÍGENAS

  • Número de indígenas assassinados no Brasil cresceu 22% ao longo de uma década

PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

  • Em 2019, foram registrados 7.613 casos de violências contra pessoas com deficiência
  • A violência doméstica é a mais comum, representando mais de 58% das notificações (61% se consideradas só as mulheres)