Carregando...

Artigos

Eleições 20/01/2022

Eleições 2022: os desafios para um país melhor para os brasileiros

Paulinho da Força
Paulinho da Força
Deputado federal (SP) e presidente nacional do Solidariedade
Eleições 2022: os desafios para um país melhor para os brasileiros
Gustavo Lima / Câmara dos Deputados

Diante dos desafios enfrentados pelo Brasil na economia e na questão sanitária, as eleições deste ano são uma das mais importantes da nossa história. Há 3 anos, o país vive em um verdadeiro caos. O atual governo não sabe que caminho traçar e o presidente é um dos mais perdidos. 

Nunca na história do Brasil houve tantos brasileiros desanimados, sem perspectivas de futuro e tão desgovernado. Temos um presidente da República que desde que foi eleito só pensa em reeleição. Nunca trabalhou. Só atrapalha. 

Por causa disso, houve a necessidade de outros partidos anteciparem as eleições de 2022. Não queríamos que fosse assim, afinal, o Brasil está cheio de problemas que precisam ser resolvidos: fome, desemprego, pandemia, crise na educação, crise sanitária. Está tudo uma bagunça!

A única forma de resolvermos isso tudo é por meio das eleições, elegendo um presidente capaz de mudar o país e de melhorar as condições dos trabalhadores, que são os que mais sofrem. Com uma renda cada vez menor, assistimos o nosso povo ser massacrado com a inflação alta e salário sem ganho real. A desvalorização da aposentadoria também é uma marca da atual gestão, que nega aos aposentados, por meio de seus apoiadores, o 14º salário. O benefício ajudaria muito esse público. 

Alianças para mudar o Brasil

Em 2022, o Solidariedade visa ações para o crescimento econômico e igualdade social do país. Não estamos preocupados com ideologia, mas em governança. Por isso, as nossas alianças para as eleições tanto em âmbito nacional quanto estaduais têm o objetivo de retirar o Brasil do fundo do poço. 

Estamos trabalhando desde o ano passado com esse objetivo, alinhados a um projeto importante para trabalhadores, estudantes, jovens, aposentados, crianças, deficientes físicos. Ou seja, população de forma geral. 

Por isso, buscamos união em torno de um único projeto. E há algum tempo tenho buscado me unir a outras forças políticas, a líderes reconhecidos nacionalmente para levar o nosso Brasil para frente. Afinal, cansamos de retrocesso. 

Como todo o Brasil já sabe, um desses nomes com quem tenho conversado é com o ex-governador Geraldo Alckmin. Fiz o convite para que ele se filiasse ao Solidariedade a fim de compor uma chapa forte com o ex-presidente Lula. A minha finalidade é facilitar esse processo de articulação para termos uma candidatura a presidente da República robusta e com duas lideranças importantes. 

Vamos juntos reunir forças a favor do Brasil e dos brasileiros.